Não Somos Nada – Um Texto Quebrado

 

Despertando, mais uma vez, sob este céu enegrecido, em dias gris, onde apesar de o sol brilhar, se desvanece; despertando e caminhando a largos passos sem sina, homens de pedra, talhados sobre um molde outrora maciço e fulgurante; mas, por obstinação, agora estão ocos. Dias sombrios, devastados pelo desamor, como uma noite não estrelada, sem lua; um luar desvanecido na totalidade de um dia, pela inércia paralisada do cerne de cada homem.
Para ler mais, clique aqui.